a poesia de todo dia

Ninguém deu a ideia, ninguém pediu para posarem. Estávamos conversando, olhamos pro lado e estavam assim. Linha reta, pernas abertas, braços pro alto. Inconscientemente reverenciando a imensidão do mar azul. Corri para pegar o celular torcendo para dar tempo de registrar. Voltei e as mãos não estavam mais pro alto. Tudo bem. Preferi não interferir em nada. Preferi deixar eles no tempo deles, do jeito deles, imaginação intacta, genuinamente pura. Fotografei sem que percebessem e me retirei. Para que continuassem fazendo da vida uma poesia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: